PET-Saúde/Interprofissionalidade e o desenvolvimento de mudanças curriculares e práticas colaborativas

Autores

Palavras-chave:

Universidades. Serviços de integração docente-assistencial. Educação interprofissional. Práticas interdisciplinares.

Resumo

Este estudo objetivou analisar as mudanças na formação induzidas pelo Programa Educação pelo  Trabalho para a Saúde (PET-Saúde), edição  interprofissionalidade, e identificar se os pressupostos da Educação Interprofissional (EIP) e das práticas  colaborativas foram aplicados no desenvolvimento dos projetos. Trata-se de estudo de caso qualitativo,  descritivo e exploratório, desenvolvido no estado do  Rio de Janeiro. Entrevistas abertas foram realizadas  com 32 atores do programa, cujos conteúdos foram  analisados à luz do referencial teórico-metodológico  da EIP. Três categorias foram produzidas: O PET- Saúde/Interprofissionalidade como dinâmica  construtiva de práticas colaborativas; A  interprofissionalidade como fundamento de  estruturação de currículos e práticas pedagógicas; Os  mecanismos de avaliação do PET- Saúde/Interprofissionalidade. A edição  Interprofissionalidade deflagrou experiências assertivas mediante aplicação dos pressupostos da  EIP e práticas colaborativas, resultando em indução de reformas curriculares e criação de disciplinas  interprofissionais; porém, ainda não representa uma  política incorporada pelas instituições de ensino.  Atenção especial deve ser dada aos processos  avaliativos, ainda muito incipientes, e à  sustentabilidade dos avanços alcançados, que requer  apoio político e institucional. Conclui-se que o PET- Saúde tem contribuído progressivamente para as  transformações no ensino e para a disseminação dos  conceitos e pressupostos que orientam a EIP. 

Publicado

2023-05-31

Como Citar

1.
Brinco R, França T, Magnago C. PET-Saúde/Interprofissionalidade e o desenvolvimento de mudanças curriculares e práticas colaborativas. Saúde debate [Internet]. 31º de maio de 2023 [citado 19º de julho de 2024];46(especial 6 dez):55-69. Disponível em: https://www.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/6909