O desafio da formação interdisciplinar de graduandos de medicina: contribuições dos grupos Balint-Paideia

Autores

Palavras-chave:

Práticas interdisciplinares. Equipe de assistência ao paciente. Atenção Primária à Saúde. Internato e residência. Educação médica.

Resumo

Este artigo teve como objetivo analisar o trabalho multiprofissional na perspectiva interdisciplinar na  formação de estudantes de medicina por meio de  grupos Balint-Paideia. Trata-se de uma pesquisa  qualitativa, descritiva, exploratória e analítica,  realizada com graduandos do internato de saúde  coletiva de uma universidade pública brasileira. Os  internos participaram de grupos Balint-Paideia durante sua imersão nas equipes de saúde da família.  Os dados foram coletados por meio de grupos focais e analisados mediante construção de narrativas.  Foram encontrados os seguintes núcleos  argumentativos: potencialidades e os entraves para o  trabalho em equipe; influência da formação baseada  no trabalho para o exercício da atividade colaborativa;  papel dos grupos Balint-Paideia no  processo formativo e na aprendizagem de conceitos  relevantes para a Atenção Primária à Saúde. A  estratégia pedagógica combinando prática na  Atenção Primária à Saúde, vivência interprofissional e  grupos Balint-Paideia, com elaboração de projeto  terapêutico singular, apesar de desafiante, tende a  propiciar um olhar que transcende a clínica estritamente biomédica e as relações assimétricas,  evocando os estudantes de medicina à construção de uma práxis interdisciplinar.

Downloads

Publicado

2023-05-31

Como Citar

1.
Rodrigues ET, Oliveira-Viana MM, Campos-Rizzi FN, Campos GW de S. O desafio da formação interdisciplinar de graduandos de medicina: contribuições dos grupos Balint-Paideia. Saúde debate [Internet]. 31º de maio de 2023 [citado 27º de fevereiro de 2024];46(especial 6 dez):41-54. Disponível em: https://www.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/6940