Condições de trabalho e saúde de trabalhadoras rurais: uma revisão integrativa

Autores

Palavras-chave:

Mulheres trabalhadoras. Trabalhadoras rurais. Condições de trabalho. Saúde da trabalhadora rural.

Resumo

As mudanças na força de trabalho rural mundial ocorreram, a partir de 1980, sobretudo, com o aumento da participação feminina no trabalho assalariado. Foi realizada uma revisão integrativa da literatura publicada entre os anos de 2010 a 2020 a respeito das condições de trabalho e saúde de trabalhadoras rurais. As bases de dados consultadas foram BVS, SciELO e PubMed, e 43 estudos, 11 nacionais e 32 internacionais, foram analisados. Os resultados apontam uma diversidade de atividades de trabalho exercidas por mulheres rurais, de forma assalariada, autônoma e em cooperativas, bem como atividades não remuneradas. As condições de trabalho em empregos assalariados, em geral, são precarizadas, com contratos temporários, baixos salários e longas jornadas de trabalho. No trabalho autônomo e em cooperativas, os estudos relatam maior controle das atividades, autonomia financeira e maior satisfação das trabalhadoras. Destacou-se, em todas as formas de trabalho, a divisão sexual e a sobrecarga de trabalho com o acréscimo às atividades produtivas, das atividades reprodutivas não remuneradas, serviço doméstico e de cuidado. Distúrbios osteomusculares, sofrimentos e adoecimentos mentais, alta exposição e intoxicações por agrotóxicos e a violência no ambiente de trabalho e doméstico foram identificados como preponderantes nas relações saúde-trabalho vivenciadas por essas trabalhadoras rurais.

Publicado

2023-05-28

Como Citar

1.
Beserra L, Hennington Élida A, Pignatti MG. Condições de trabalho e saúde de trabalhadoras rurais: uma revisão integrativa. Saúde debate [Internet]. 28º de maio de 2023 [citado 21º de abril de 2024];47(137 abr-jun):298-315. Disponível em: https://www.saudeemdebate.org.br/sed/article/view/7313